Conjuntivite: Muito mais que uma doença de férias

Em Caldas Novas, o início do ano tem sido marcado por um surto de conjuntivite, o município registrou 500 casos em dez dias. O número de casos, é  30% maior em relação ao ano passado.

Só a Unidade de Pronto Atendimento da cidade (UPA) tem registrado cerca de 50 casos da doença por dia.

Já em Goiânia, a Secretaria Municipal de Saúde, informou que até o último dia 20, foram registrados cerca de 08 casos, sendo a maioria de ocorrência na região sudoeste da capital.

E a Clínica da Mulher quer saber: Você sabe quais os sintomas da Conjuntivite? E, principalmente, sabe como evitá-la?

Para ajudar a esclarecer essas dúvidas, preparamos uma matéria especial sobre o tema. Vamos conferir?

A conjuntivite é uma infecção ou inflamação na conjuntiva dos olhos. O calor, o suor e o tempo seco do verão criam uma condição favorável para o aparecimento e a disseminação da doença.

Existem três formas de conjuntivite, divididas de acordo com a sua origem:

O aspecto vermelho dos olhos nos três tipos de conjuntivite é mais ou menos parecido. O que ajuda a diferenciá-los são os sintomas.

No tipo viral, além da vermelhidão e do inchaço característicos, há a sensação de areia ou corpo estranho e um forte lacrimejamento. Leva até duas semanas para que o paciente tenha uma melhora e, dependendo da gravidade, pode deixar sequelas na córnea e atrapalhar a visão.

Na Conjuntivite bacteriana, a secreção e o inchaço são mais intensos. Também há vermelhidão, mas o lacrimejamento não é tão frequente. Ela dura, em geral, uma semana.

Já na conjuntivite alérgica, o paciente sente coceira intensa e muito inchaço. A vermelhidão e o lacrimejamento não são tão proeminentes quanto nos outros tipos. O tempo de duração é variável.

Há, ainda, um quarto tipo da inflamação, menos comum: a Conjuntivite tóxica, causada por fatores externos como substâncias químicas, cloro, fumaça de cigarro ou poluição.

A melhor forma de identificar o tipo de conjuntivite, é assim que notar os primeiros sintomas consultar o médico oftalmologista, pois, só ele é capaz de identificar o agente causador do quadro e indicar o melhor tratamento.

Durante o tratamento, é importante tomar algumas medidas para aliviar os sintomas, como: 

·  Evitar a exposição à luz solar ou luz intensa, usando sempre que possível, óculos de sol;

·  Lavar regularmente os olhos com soro fisiológico, de forma a eliminar as secreções;

·  Lavar as mãos antes e depois de tocar nos olhos ou de aplicar colírios e pomadas; 

·  Colocar compressas frias nos olhos fechados;

·  Evitar usar lentes de contato;

·  Trocar toalhas de banho e de rosto a cada utilização;

·  Evitar a exposição a agentes irritantes, como fumaça ou poeira;

·  Evitar frequentar piscinas.

No caso da prevenção contra a Conjuntivite, seja ela de qual tipo for, você pode adotar os seguintes cuidados:

·  Lavar com frequência o rosto e as mãos uma vez que estas são veículos importantes para a transmissão de microrganismos patogênicos;

·  Evitar coçar os olhos;

·  Aumentar a frequência da troca de toalhas do banheiro ou usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos;

·  Não compartilhar o uso de esponjas, rímel, delineadores, lápis de olho ou de qualquer outro produto de beleza.

Prevenir e cuidar, é sempre a melhor solução. Em caso de maiores dúvidas, consulte o seu oftalmologista e mantenha em dia a saúde dos seus olhos.

Deixar um comentário

Siga-nos

© 2019 Todos direitos reservados